Fashion: A vida em cores | Shopping Pelotas

"O primeiro desfile!"

Você que não é de Pelotas e está lendo esse texto, talvez não consiga ter muita ideia da importância desse desfile. Pelotas demorou muitos anos para ter um shopping. Somente em outubro do ano passado é que conseguimos tirar esse estigma da "cidade sem shopping". Dá pra acreditar que muitas pessoas apostaram que não iria dar certo? Apesar de estar comprovado por estudos e pesquisas que cidades que recebem shoppings crescem, aumentam a taxa de pessoas no trabalho formal, conseguem ter uma maior valorização nos seus imóveis, e ainda aumenta a qualidade de vida da população de uma forma geral - pode ler AQUI e AQUI -. Ao meu ver o Shopping não prejudica o comércio de rua, pois leva os comerciantes e lojistas a reativar e renovar sua forma de trabalho, aquecendo ainda mais o comércio - foi feita uma pesquisa sobre isso -.

Bom, já conhecendo o cenário, vamos ao desfile. Eu tenho lido bastante que "é melhor o feito do que o perfeito", e apesar de lá no fundo ser muito perfeccionista, acredito que é melhor mesmo fazer, começar e depois ir melhorando, aprimorando. Esse primeiro desfile foi em parceria com o William Barreto; foi ele quem organizou tudo, desde a iluminação até suas fotografias. Por ser o primeiro, é claro que nunca vai sair impecável, perfeito. Nem a primeira NYFW deve ter sido perfeita, não é mesmo? Mas, para que possamos melhorar - e isso sempre é possível! -, acredito que é válido rever alguns pontos.

Suellen Ribeiro foi a apresentadora

Um deles foi a passarela, que achei muito alta. Além de ficar difícil a visualização nas primeiras fileiras, deixavam as modelos expostas demais, uma vez que conseguíamos ver bem mais do que saias e vestidos. Entendo que as pessoas da praça de alimentação também estavam assistindo ao evento, mas seria mais vantajoso para todos que tivessem telões transmitindo o desfile, até para que as pessoas de mais longe conseguissem ver os detalhes das peças. O atraso inicial foi cansativo, mas acredito que ter marcado para um pouco mais tarde - horário de verão, né? Sabe como é! - e ter começado na hora seria uma boa estratégia. Os 14 desfiles, todos um atrás do outro, deixou o evento um pouco cansativo. Nos últimos a gente não lembrava mais dos primeiros. Teríamos que estudar uma nova forma de apresentar informação de moda. De uma forma geral, foi um sucesso, mas faltou um pouco de acabamento, que aí, não tem jeito, só vem com a prática. Tentativa e erro, e muita sensibilidade.

 Look Rabusch
 
Para começar a falar dos desfiles das marcas, acho importante falar sobre o sentido de se fazer um desfile. Acredito que os desfiles falam mais de conceito do que de produto, até os desfiles mais comerciais. Quando uma marca monta um desfile, ela se preocupa em passar da forma mais eficiente possível a historinha que ela quer contar. Pessoas, principalmente a geração Y, se apaixonam pelas marcas - e se identificam com as suas características - e só depois pelos produtos. Antes vem a vontade de ser e depois a de ter. O ato de adquirir vem depois que você desejou o estilo de vida. Então, em qualquer desfile, por mais comercial que seja, o foco não está no produto, e sim na emoção, no sentimento, no conceito.

Looks Mr. Cat.

Pensando dessa forma, não faz sentido algum uma modelo vir com duas bolsas, ou então vir com dois óculos, ou com as mãos como se fossem mostruários, nem vir com um sapato na mão. E além do mais, se a sua marca é de sapatos ou acessórios, as roupas continuam tendo importância, pois elas situam a pessoa que está assistindo, além de gerar desejo. Uma que sempre faz isso é a Mania de Usar e acredito que sejam bem felizes nisso. Podemos ir muito além do que vestidos pretos, shorts jeans e regatas brancas.

Looks Pit Niños

Outra coisa que observei também foi a maquiagem. Sob o meu ponto de vista, quando fazemos um desfile em que os mesmos modelos desfilarão para todas as marcas - que possuem estilos e segmentos diferentes - a maquiagem e o cabelo precisam ser mais amenos. Infelizmente, no cabelo e na maquiagem, em eventos assim, não se consegue colocar muita informação de moda, e quando é colocado, destoa nos desfiles de algumas marcas. Entendo que queriam ousar na make, mas o batom azul bic não casou muito bem em vários desfiles.


Gostei do desfile da Trópico, eles conseguiram imprimir o estilo de vida das pessoas que vestem a marca. Usaram elementos como prancha de surf e skates.


A Maison Biansini levou para passarela as peças da marca Moikana. A bata branca combinada com o short jeans ficou maravilhosa! Só com aquele look elas já conseguiram passar a vibe do verão da marca.

 
Voltando na Mania de Usar, esse verão eles escolheram Punta Del Este como inspiração. Na passarela também marcaram presença os quimonos que a marca está vendendo. Eles na verdade eram os uniformes das meninas, mas fizeram tanto sucesso que a marca começou a confeccionar.


A Gaúcho e Prenda sempre se apresenta muito bem, e olha que o produto deles não é fácil de vender. Acreditam que esses looks abaixo são tradicionalistas? E ainda teve música ao vivo para o desfile.


A Raphaella Booz apresentou seus melhores sapatos e bolsas. Foi um bom desfile, mas um stylist deixaria tudo ainda mais interessante.


A Kichler veio com peças bem bonitas, tanto em roupas quanto em sapatos. Alguém sabe se os sapatos são próprios da loja? Adorei mesmo!


Um dos melhores desfiles, a Pompéia foi muito feliz no styling dos looks, e soube unir muito bem tudo que a marca vende, tanto no feminino quanto no masculino. O comentário das primeiras fileiras eram sobre os sapatos lindíssimos. Alguém também sabe informar se são da própria marca? Ah, o primeiro look estava muito lindo, bem a cara do verão.

 Looks Pompéia

E você o que achou do evento? Gostou dos desfiles? Dê seu pitaco AQUI!


Com carinho,
Grazy.

Super parabéns a todos que organizaram o desfile! O primeiro é sempre o mais difícil. Agora é seguir em frente! ♥

Lifestyle: Dois anos de Daniel Bellora

"Foi demais!"

Ai gente, que bacana é ver as pessoas, marcas, lugares e ideias dando certo, crescendo e fazendo sucesso. Em dois anos o Espaço de Arte Daniel Bellora vem se transformando em um lugar maravilhoso para trabalhar, conversar, ver, produzir e comprar arte, além do café bem legal cheio de alimentos funcionais e comidinhas feitas com muito carinho. Vão vir muitas novidades e esperamos um sucesso ainda maior do que foi esse evento de sábado. Gente, que sucesso! Eu estava lá com a Grazie e como expositora posso dizer que foi sucesso mesmo, em todos os quesitos! Vem ver algumas fotos que fiz por lá!


Do lado das minhas peças estava a Suelen Matievicz, do Com Amor e Sem Lactose. Uma menina super nova, que estudou gastronomia e resolveu se dedicar a doces sem lactose! Muito talento gente, fiquem de olho! O brigadeiro dela consegue ser melhor do que os comuns. O foco dela é principalmente as crianças intolerantes a lactose, que adorariam comer os doces dos amiguinhos e não podem.


Foi muito bacana ver finalmente o trabalho da Bruna Britto de perto. Ô menina talentosa! A forma como ela usa a aquarela é muito bacana, linda, suave, feminina mas nada bobinha. E aí em cima são umas caricaturas bem bacanas de um menino bem novinho, ele se chama Victor Cardozo da Rosa. Ele que fez a logo da Grazie no quadrinho que vocês viram aí em cima! ;)


Por lá estava também a Vida Quadrada, uma loja que vende produtos geek. Acho muito interessante a proposta da marca.


Por lá estava também o Gordo Muswieck. A Arte dele está cada vez mais madura, mais interessante e ao mesmo tempo fácil de ter em casa, com aquele linguagem street dos grafites. Muito bacana.


Carimbos, caligrafias, achei bem bacana esse trabalho. Se alguém souber o nome também me fala?


Melissa Westphal, super talentosa veio com o seu Manifesto Cuti-cuti - que fez super sucesso por São Paulo - e trouxe botões, adesivos, quadrinhos, lambes-lambes, tudo com muita delicadeza, muita fofura!
 

André, Samuel e Eduardo, os irmão arquitetos-artistas do Choer #51B, também estavam lá no evento. Batemos um papo bem bacana - apesar de várias parcerias e vários eventos nunca tínhamos conversado muito -. Vale conhecer o trabalho dos meninos!


Bom gente, esse foi um pouquinho do aniversário lindo do Espaço de Arte Daniel Bellora. Teve muito mais gente mega talentosa expondo, mas que não consegui fotografar por causa da Grazie. Fico mega feliz por isso estar acontecendo em Pelotas, por termos um espaço desse na cidade e pore star fazendo parte disso de alguma forma. O que mais curto em Pelotas e o que com certeza me fez querer ficar, é a junção de Arte e cultura com a qualidade de vida! Que venha muitos e muitos anos! ;)

E vocês, o que acharam? Quem foi? Comenta AQUI!

Fotos: Grazy Pacheco
Com carinho,
Grazy.